Buscar
  • jornaltpadm

Senador Jorginho Mello participou de bate-papo com a ACIBr

Evento no teatro do CESCB reuniu autoridades públicas, entidades de classe e a imprensa


O senador Jorginho Mello e sua suplente, Ivete Appel da Silveira, participaram de um bate-papo promovido pela Associação Empresarial de Brusque, Guabiruba e Botuverá (ACIBr), na tarde desta segunda-feira, 21 de junho, no teatro do Centro Empresarial, Social e Cultural de Brusque (CESCB). O evento, conduzido pela presidente da entidade, Rita Cassia Conti, contou com a presença do prefeitos de Brusque, José Ari Vequi, de Guabiruba, Valmir Zirke e de Botuverá, Alcir Merízio, além de demais autoridades públicas, entidades de classe e a imprensa. “Devido à pandemia da Covid-19, precisamos restringir o acesso de convidados. Ainda assim, 60 autoridades se fizeram presentes, todas formadoras de opinião, para ouvir o senador Jorginho Mello, que está articulado com o Congresso e será capaz de levar nossos pleitos regionais ao Governo Federal”, comemora a presidente da ACIBr, Rita Cassia Conti. Na oportunidade, Rita fez a entrega formal de um ofício contendo reivindicações que contribuem para o desenvolvimento econômico e social da região. O documento também foi assinado pelos presidentes que integram o Conselho das Entidades e os prefeitos dos três municípios. “Sabemos que já existe um grande movimento para ampliar as pistas na BR-101, assim como obras em demais rodovias importantes para a logística do Estado. Mas o nosso grande gargalo são as alças de acesso no trecho de ligação entre a Rodovia Antônio Heil e a BR-101. No encontro de hoje tivemos a certeza de que essas melhorias irão avançar. Outro pleito importante é a Barragem de Botuverá, especialmente pela questão hídrica, capaz de levar água de qualidade aos municípios do litoral, que sofrem com o abastecimento em períodos de veraneio. Acredito que conseguiremos evoluir, através de uma abertura feita pelo senador em Brasília, a partir deste encontro”, enfatiza Rita.

Alças de acesso De acordo com o senador Jorginho Mello, já existe o projeto de mais uma faixa viária da BR-101, entre Navegantes e São José. A obra conta com o envolvimento da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC). “O projeto é de responsabilidade da própria concessionária, que aumentará o valor cobrado no pedágio. Este é o preço do desenvolvimento e do crescimento. A medida deve pôr fim ao gargalo do setor produtivo da região”, disse o Senador.

Barragem de Botuverá Jorginho Mello enfatiza que, mais do que prevenir as cheias, a obra é uma importante fonte de abastecimento hídrico. “Convido os prefeitos e empresários para uma audiência em Brasília com o Ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho. Vamos estudar a possibilidade de alcançar esse recurso. Prevenir enchentes salva vidas e a economia. Além disso, a água vai ser útil para muitas cidades”, observa.

Plano Nacional de Logística – PNL 2035 O PNL prevê o desenvolvimento nacional em infraestrutura até 2035. Santa Catarina, inicialmente, seria contemplada por R$ 271 milhões, mas o orçamento sofreu cortes e agora está estimado em R$ 136 milhões. “Estava aprovado o orçamento mas, na sanção, sofreu um corte linear. Sei do compromisso do presidente em recompor estes valores, que serão destinados para as rodovias 280, 470, 285, 163 e 282”, enfatiza o senador.

Refis federal Um dos pleitos entregue ao senador Jorginho Mello foi a criação de um Programa de Recuperação Fiscal (Refis) na esfera federal. Os presentes então foram surpreendidos por um projeto, autoria do próprio senador, com este mesmo teor, que deve entrar em vigor no Brasil nos próximos 30 dias. “Precisamos ajudar as empresas a manterem seus empregos e, por esta razão, os descontos são de até 80% para todos, incluindo as micro e pequenas empresas, com 5% de entrada e parcelamento em oito vezes. Para as médias e grandes empresas, a entrada é de 10% e quatro parcelas. Estive com o Ministro da Economia, Paulo Guedes, e foi uma proposta construída em conjunto com o Congresso”, relata.

Reforma Tributária Apesar de ter preparado uma explanação sobre o tema, devido ao horário o senador optou por não exibir o conteúdo mais detalhado, se atentando ao fato de simplificar os tributos. “Se não é possível diminuir a carga tributária vamos, ao menos, simplificar a vida de quem paga impostos. O Simples Nacional traz oito tributos em uma única guia. A Reforma Tributária deve acontecer mais para frente, mas a simplificação de impostos federais é necessária”, esclarece.

Pronampe De acordo com dados apresentados pelo senador, 98% das empresas no país são micro e pequenas. Elas são responsáveis por 28% do PIB e por 57% dos empregos. “Foi pensando nelas que criamos o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), também de minha autoria, que agora se consolida como uma política pública e deve liberar até R$ 25 bilhões em financiamento em 2021”, conta.



3 visualizações0 comentário