Buscar
  • jornaltpadm

OUTUBRO ROSA

Durante o mês ABM realizará uma live com o tema: Prevenção ao Câncer de Mama” com o objetivo de conscientizar não apenas as mulheres, mas todo o público

O mês de outubro é representado pela campanha “Outubro Rosa”, para prevenção ao câncer de mama, o qual desperta alerta nos médicos, pois ainda é o câncer que mais acomete as mulheres em todo o país. Segundo dados do INCA – Instituto Nacional do Câncer - a estimativa era de que no ano passado seriam diagnosticados no Brasil 66.280 novos casos e, em Santa Catarina, 3.370 mulheres teriam câncer de mama em 2020. Para reduzir os danos causados pelo câncer de mama, o diagnóstico precoce é fundamental, pois representa um potencial de cura acima de 90% para a paciente.

Outro fator notado pelos ginecologistas é que, no ano passado, muitas mulheres deixaram de fazer suas rotinas médicas devido à pandemia, números que começaram a mudar a partir 2021, relata a médica Bruna de Almeida, membro da Associação Brusquense de Medicina - ABM. Segundo ela, “geralmente é o ginecologista que faz este primeiro diagnóstico durante uma rotina anual, hora do exame físico, ginecológico ou através dos exames de imagem que são solicitados na consulta, principalmente se a paciente já está no grupo de rastreamento para câncer de mama”, explica a médica.

Para os ginecologistas, alguns fatores de risco são sinais de alerta para investigações mais aprofundadas, assim como para as mulheres. Os mais importantes são casos de câncer de mama na família, pois a doença pode ser hereditária, porém a maior parte acontece por alterações nos genes ao longo da vida.

“Além disso, o fato da mulher não ter filhos, chamado de ‘nuliparidade’, ter tido a primeira menstruação muito cedo, menopausa tardia, primeira gravidez após os 30 anos de idade, bem como obesidade, sobrepeso, sedentarismo, consumo de bebida alcóolica, tabagismo, entre outros, exigem exames mais detalhados.

AUTOEXAME

Ainda de acordo com a médica ginecologista, Bruna de Almeida, o exame clínico das mamas realizado pelo profissional habilitado, ginecologista ou mastologista, é fundamental, mas o autoexame faz com que as mulheres percebam rapidamente alguma mudança e procure o médico.

“Saber se tocar e se conhecer é muito importante para a mulher, então ter esse hábito de examinar as próprias mamas, principalmente após o período menstrual, é algo que deve entrar na sua rotina no banho, durante o dia a dia. Qualquer nódulo, carocinho ou alteração de pele, vermelhidão, pele lembrando "casca de laranja", pele mais retraída, abaulamento, qualquer coisa diferente na mama, você deve procurar ajuda médica”, lembra a especialista.

DIAGNÓSTICO PRECOCE

O principal exame para rastreamento do câncer de mama é a mamografia, que é indicada anualmente para mulheres a partir dos 40 anos de idade, sendo que para mulheres com alto risco para a doença, a Sociedade Brasileira de Mastologia preconiza rastreamento a partir dos 30 anos. Há ainda outros exames usados, como a ultrassonografia, principalmente para mulheres mais jovens e naquelas que possuem as mamas muito densas na mamografia, com predomínio do tecido produtor de leite. A ressonância magnética também é realizada e, embora seja um exame mais caro, é importante para aquelas mulheres que operaram a mama ou que usam próteses.

Com relação às contra indicações dos exames, o médico radiologista e presidente da Associação Brusquense de Medicina, Gustavo Gumz Correia, explica que nenhum dos exames causa danos à saúde das mulheres.

“A mamografia, assim como a radiografia, utiliza radiação ionizante, mas a dose da mamografia é extremamente baixa, então ela é irrisória para afetar qualquer outro órgão ou outro tecido. A paciente pode realizar o exame com tranquilidade. A ultrassonografia não utiliza radiação, é um exame muito rápido e disponível na cidade. Já na ressonância magnética, a mulher pode apresentar algum tipo de contraindicação por causa do método, como portadoras de marcapasso cardíaco ou que tenham certas próteses metálicas no corpo. Nesses casos a paciente precisa antes conversar com o médico ou com o serviço que vai realizar o exame”, descreve o radiologista.

Para todos os médicos, o mais importante dos exames de rastreamento para o câncer de mama é conseguir diagnosticar a doença na fase mais precoce possível, permitindo que o tratamento seja menos agressivo para a paciente e a chance de cura e resolução, muito maiores.

“Não são todas as doenças e, principalmente, não são todos os cânceres que conseguimos diagnosticar precocemente através de rastreamento, por isso é importante lançarmos mão dos avanços da medicina atual e, claro, da informação, justamente para que as pacientes, os familiares e toda a população saibam os protocolos de rastreamento e que todos cuidem da própria saúde, fazendo os exames com regularidade e consultando os médicos sempre que algum sintoma novo aparecer”, conclui o presidente da ABM.

LIVE EXPLICATIVA

Durante o mês de conscientização para prevenção do câncer de mama, além das ações realizadas pelos médicos especialistas em seus consultórios, clínicas ou nos hospitais em que atuam, a Associação Brusquense de Medicina – ABM, vai realizar no dia 13 de outubro, quarta-feira, às 19h30, uma live com o tema "Prevenção ao Câncer de Mama”.

O evento será transmitido de forma virtual através do canal da ABM no youtube e compartilhado pelas redes sociais de veículos de comunicação para que atinja um grande número de pessoas. O encontro será mediado pelo presidente da ABM, Gustavo Gumz Correia e contará ainda com a presença do médico mastologista, Marco Antonio Cortelazzo, e do presidente do Sindicato dos Médicos de Santa Catarina – SIMESC Regional Brusque, o ginecologista Mauro César Flores.


Fonte: Midia Press Comunicação




3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo