Buscar
  • jornaltpadm

Investimentos da Unifebe na Villa Renaux não devem prosseguir

Convênio entre instituição e herdeiro Victor Renaux Hering, o qual não é proprietário do imóvel, não preenche os requisitos legais


Os investimentos que visam transformar a Villa Renaux em um laboratório pela Fundação Educacional de Brusque - Unifebe, devem ser interrompidos imediatamente. O imóvel não é de propriedade do herdeiro Vitor Renaux Hering e o convênio assinado com a instituição de ensino não tem validade legal.


Conforme decisão da juíza Clarice Ana Lanzarini, titular da Vara Comercial da comarca de Brusque, do fim de 2020, o casarão centenário faz parte da massa falida da Fábrica de Tecidos Carlos Renaux. Diante de tal fato, o empresário Luciano Hang, encaminhou um Requerimento Administrativo ao Conselho Administrativo - Unifebe, solicitando a interrupção de qualquer investimento no imóvel. Além disso, um levantamento, com a prestação de contas de todo valor que foi investido no imóvel.


É importante dizer que não há qualquer objeção ao uso do espaço como laboratório de estudos ou qualquer outra finalidade. Entretanto, destaca-se que o que se busca é a justiça em prol daqueles que deixaram de receber em razão da declaração de falência da Fábrica Renaux.


Ressalta-se que a sra. Maria Luiza Renaux, conforme já destacado pela magistrada Clarice, não tem nenhuma prova legal que o casarão é de sua propriedade, não cabendo a Vitor direito sob o imóvel: “não há prova de que a transferência da posse do bem à autora (e agora a seu herdeiro) tenha se dado de forma diversa do comodato verbal firmado entre a requerida (proprietária do imóvel) e a autora”.


Além disso, a caso a família tenha interesse em seguir o imóvel, poderá participar do leilão, visto que a sra. Maria Luiza Renaux herdou quantias significativas que ultrapassam os R$ 30 milhões.



2 visualizações0 comentário