Buscar
  • jornaltpadm

ESTUDANTES DE BRUSQUE GANHAM MEDALHA DE BRONZE NA OLIMPÍADA MATEMÁTICA SEM FRONTEIRAS

Alunos da Escola de Jovens e Adultos (EJA) de Brusque e do 2º ano do Ensino Médio da Escola S, conquistaram medalha de bronze na etapa sul da Olimpíada Matemática Sem Fronteiras. Ao todo, foram 75 alunos medalhistas. Todas as provas foram realizadas na própria unidade, no mês de setembro.

Para os estudantes, a conquista foi resultado de muita dedicação e trabalho em equipe.

“Eu achei muito legal participar do concurso Matemática Sem Fronteiras (MSF), pois em meio de tantos alunos que fizeram, a nossa equipe foi premiada”, declarou a estudante da EJA, Sônia Aparecida da Silva de Abreu , 30, e a colega de turma, Ingrid Jantsch Passaglia, 27, completou: “é uma grande conquista ficar em terceiro lugar na Olimpíada, pois é o resultado de muito esforço e dedicação de cada aluno e é um incentivo para buscar cada vez mais conhecimento”.

Segundo a supervisora de educação da EJA, Angela Mendes Suavi, “este é mais um reconhecimento pelo trabalho desenvolvimento pelo SESI, que estimula os estudantes através da prática do dia a dia, dentro de áreas do conhecimento que fazem parte da realidade dos alunos. Além disso, os nossos professores sempre buscam novidades que incentivem os alunos”.

SOBRE A MSF

Criada em 1989 pelo Ministério da Educação da França, a competição envolveu em 2015 mais de 200 mil alunos de 28 países, sendo 30 mil brasileiros. A prova é aplicada em nove idiomas diferentes.

No Brasil, a Olimpíada Internacional Matemática Sem Fronteiras é organizada pela Rede do Programa de Olimpíadas do Conhecimento (Rede POC), programa de intercâmbio científico que tem como objetivo estimular o interesse entre os estudantes pela Ciência, Tecnologia e Inovação.

A Matemática Sem Fronteiras é a única realizada por equipes, formadas nas próprias classes, não é individual como as outras. De acordo com os realizadores, o formato da prova produz efeitos positivos sobre a qualidade do ensino da Matemática, uma vez que estimula o trabalho em equipe e a resolução de problemas abertos. Um problema é aberto se seu enunciado é curto, não induzindo ao método de resolução, e onde muitas estratégias são possíveis para a sua resolução.

Outro diferencial é que a prova não é direcionada apenas para alunos com altas habilidades na disciplina. A intenção é incentivar o trabalho em equipe e desmistificar a ideia de que a Matemática é muito difícil.


Fonte: Mídia Press Comunicação




81 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo