Buscar
  • jornaltpadm

ENTREVISTA:

Dia 25/05, é o Dia Internacional de Prevenção da tireoide e a também ocorre a Semana Internacional de Prevenção. Devido a importância desta glândula que é responsável pelo bom funcionamento de grande parte do nosso organismo, preparamos uma entrevista especial sobre o assunto.


Por MidiaPress Comunicação



Você sabe a importância de fazer exames para verificar como está a sua tireoide? Aliás, você sabe o que é a tireoide? Pois ela é fundamental para regular todo o seu organismo. Segundo pesquisas, cerca de 10% dos brasileiros sofrem com alguma disfunção da tireoide. Os problemas podem aparecer em qualquer idade e atingem principalmente as mulheres. Na entrevista a seguir, o médico endocrinologista, Frederico Marchisotti, membro da Associação Brusquense de Medicina, esclarece algumas dúvidas sobre a tireoide, suas causas e tratamentos.


O que é a tireoide?


Dr. Frederico: A tireóide é uma glândula localizada na região cervical, ou seja, no pescoço, abaixo do pomo de adão no homem e na região semelhante, na mulher. A tireóide é uma glâdula que produz hormônios tireoidianos, conhecidos como T3 e T4. Esses hormônios agem em todo o organismo, em todas as células, do organismo, regulando o metabolismo, desde o crescimento dos cabelos até os batimentos cardíacos, a função do intestino.


Quais as disfunções mais comuns no organismo, quando detectados problemas na tireoide?


Dr. Frederico: Pode ser o hipotireoidismo, que é a falta da produção de hormônios ou o hipertireoidismo, que seria o excesso de produção e os sintomas vão depender de qual disfunção foi diagnosticada. No hipotireoidismo, por exemplo, é como se o organismo todo ficasse mais lento, os batimentos cardíacos mais lentos, o intestino mais devagar, a pessoa sonolenta, bastante desânimo, fraqueza, raciocínio mais lento, podendo ter também um pouco de inchaço nos olhos e nos pés, queda de cabelo, unha quebradiça, entre outros. Já o hipertireoidismo, é o contrario. A pessoa vai apresentar um excesso de hormônios, então o quadro é de agitação, insônia, o intestino pode funcionar demais; pode ter fraqueza por perda muscular, coração acelerado, tremores, emagrecimento. É importante destacar ainda, a questão dos nódulos e câncer de tireoide. Estes vão se manifestar através de um nódulo no pescoço, que pode ser benigno ou câncer, porém isso só será determinado através de uma investigação médica.


O médico especialista para buscar este tipo de importação, seria então o endocrinologista?


Dr. Frederico: Sim, tanto o hipertireoidismo, quanto o hipotireoidismo, os nódulos na tireóide e o próprio câncer de tireoide, são conduzidos pelo endocrinologista, as vezes, com o auxilio de outros especialistas. Desta maneira, alguns tratamentos vão depender de um médico especializado em medicina nuclear, ou então, de um cirurgião de cabeça e pescoço.



Algumas pessoas relacionam exames de raio x ou até mamografias, ao desenvolvimento de problemas na tireoide. Há realmente essa incidência?


Dr. Frederico: Neste caso, é importante observar duas situações. Primeiro: existe uma ligação do câncer de tireoide com irradiação prévia direta ou indireta do pescoço para tratar outro tipo de câncer. Assim, altas doses de radiação para tratar um câncer na cabeça, na face ou no tórax, podem levar a um câncer de tireoide ou até mesmo uma disfunção da tireoide no futuro, então, é interessante ficar atento. Já o Raio X simples, que a gente faz no hospital para ver fraturas , ou a tomografia e a ressonância, são métodos de baixa radiação e que não levam a problemas de tireoide, a não ser que a pessoa trabalhe com isso e fique exposta todos os dias, neste caso, a pessoa deve colocar uma proteção na região do pescoço para proteger a tireoide.


Infecções pelo novo coronavírus podem afetar a tireoide?


Dr. Frederico: Sim. Em tempos de pandemia COVID 19, é interessante observar que o coronavírus pode causar uma condição chamada de tireoidite aguda, uma inflação aguda da glândula tireoide, com a liberação dos hormônios tireoidianos na circulação sanguínea. Os efeitos desta liberação, que seriam os mesmos do hipertireoidismo (tremores, taquicardia, fraqueza, insônia, agitação) , além de febre e dor na região do pescoço .


Os problemas na tireoide tem cura?


Dr. Frederico: Alguns problemas na tireoide têm cura e outros não. Por exemplo, o hipotireoidismo, que é a doença mais comum, e em 90% dos casos causados pela Tireoidite de Hashimoto. Doença autoimune da tireoide. O paciente nasce com esta predisposição à doença , mas ela só vai se manifestar posteriormente, por volta da terceira ou quarta década de vida geralmente. Neste caso, não existe cura, apenas controle com uso de medicamento. O câncer da tireoide, tem cura na grande maioria dos casos , através da cirurgia e radioiodoterapia. O hipertireoidismo pode ser tratado com medicamentos, radioiodoterapia ou cirurgia. O endocrinologista vai orientar a melhor opção . Independente do tratamento escolhido, quase sempre o paciente vai necessitar uso de medicamentos continuamente. Em alguns casos, a doença pode entrar em remissão e o paciente voltar ao estado normal, mas isso não é a regra, é uma exceção.


No mais, a recomendação é fazer exames períodos e consultar com o seu médico regularmente, pois é que ele quem vai prescrever os cuidados necessários para cada paciente.




5 visualizações0 comentário