Buscar
  • jornaltpadm

ALUNOS DA EJA DE GUABIRUBA E BRUSQUE PROMOVEM EXPOSIÇÃO ITINERANTE SOBRE CULTURA AFRICANA

A Fundação Cultural de Guabiruba recebe, a partir de hoje, dia 23, a exposição, “África: Muito além da escravidão”, desenvolvida pelos alunos da Educação de Jovens e Adultos – EJA da cidade e de Brusque.

Desta exposição, faz parte um documentário gravado em vídeo pelos alunos durante as aulas de Linguagens e de Ciências Humanas e teve como objetivo estudar o continente africano. Questões como a xenofobia e a percepção geográfica em Santa Catarina com relação à escravidão também estão foram abordadas, unindo vivências e conhecimentos sobre um tema pouco conhecido pela comunidade em geral. Além disso, também estarão expostas bonecas africanas confeccionadas pelos alunos e que representam a força da mulher.

“Nós queremos mostrar através desta exposição, exatamente o objetivo deste projeto, que é apresentar uma África diferente daquela que vemos na televisão, que destaca a fome e a pobreza. Estudamos sobre os ricos reinos africanos, a modernidade destes reinos em relação a agricultura, captação de água e arquitetura. O quanto estes reinos foram importantes para evolução da humanidade e o quanto nós, nos dias atuais, ainda utilizamos estas técnica”, destacou a professora Caroline Dutra que, juntamente com a professora Kátia Gastaldi, são responsáveis pelo projeto.

Para a aluna Rosana Aparecida de Oliveira, de 34 anos de idade, participar do projeto foi um encontro com novas culturas. “Esse projeto mudou a minha forma de pensar, pois antes eu não sabia que a cultura brasileira tinha recebido a herança de coisas da cultura africana. Fiquei impressionada com a questão da religiosidade e dos deuses africanos, que eu nem imaginava que essas coisas existiam. Aprendi que devemos combater a intolerância religiosa”, contou.

A exposição itinerante “África: Muito além da escravidão”, ficará na Fundação Cultural de Guabiruba até o dia 27 de agosto, das 8 às 12h e das 13h30 às 17h (acesso pela biblioteca). Depois segue para o SENAI de Brusque e para o SENAI de São João Batista.

Sobre o projeto

Um intercâmbio de saberes entre o Ensino Fundamental e o Ensino Médio - Jovens Adultos do Sistema S – SESI/SENAI de Guabiruba, Brusque e São João Batista, a respeito de um tema ainda hoje considerado tabu, o fato de um local muito rico em cultura e bens materiais ter sido tão explorado e reduzido apenas a uma imagem de fome e tristezas. Por muito tempo, ao pensarmos sobre o território africano, citamos apenas o fato da terra ter sido invadida pelos europeus e a história a partir dali, porém, muito antes dos europeus ocuparem a África, o local já era rico em história com grandes impérios, muito ouro e uma rica mitologia que abrilhantavam o local muito antes dos europeus.

Percorreremos pela história, cultura e vivências do berço da humanidade, onde tudo começou e onde temos o coração de nossa cultura afro-brasileira, compartilhando saberes entre as áreas de Ciências Humanas e Linguagens e suas tecnologias, unindo, história local e sua expansão pelo Brasil, contextualizando o conhecimento através das artes e literatura africana, buscando a formação do território com a geografia e navegando pela rica mitologia africana, diversos saberes com o um único propósito, expandir a riqueza da África tão presente em nossa cultura brasileira.


Fonte: Midia Press





3 visualizações0 comentário